Tecnologia três dimensões é cada vez mais a preferida pelos estúdios.

O cinema a três dimensões, actual Real 3D, é cada vez mais eficaz e promete revolucionar as idas às salas. Daqui em diante, os óculos polarizados passarão a ser um acessório cada vez mais vulgar. No Natal, há vários filmes para ver assim.

3D

O futuro do cinema será a três dimensões. O próprio dirigente máximo da Dreamworks Animations, Jeffrey Katzenberg, por exemplo, já veio reconhecer que se trata “da maior inovação no mundo do cinema desde o advento da cor, há 70 anos” e que, por isso, todos os filmes saídos do estúdio de animação serão em 3D. Para não ficar atrás, a Pixar promete seguir o mesmo caminho, a atentar no facto de estar a trabalhar no terceiro “Toy Story”, em 3D.

Isto também o terá entendido James Cameron, que teve a paciência de aguardar 14 anos até que a revolução tecnológica lhe permitisse realizar um filme em 3D, como “Avatar”, que estreia na próxima semana.

Para 2010, são aguardados pelo menos mais 20 filmes em 3D, em que se inclui a quarta série da saga do simpático ogre Shrek.

Mas nem só as produtoras apostam na nova tecnologia. Os distribuidores estão atentos à evolução e começam a adaptar-se às novas exigências.

Portugal dispõe já de um grande número de salas equipadas com o novo sistema que permite aos espectadores usufruírem dos efeitos 3 D. Esta aposta massiva, por exemplo, faz parte da estragégia da Zon Lusomundo .

A novidade tem, contudo, um senão para os espectadores: o preço acrescido em dois euros nos bilhetes. As distribuidoras garantem que tal não se deve ao custo dos óculos especiais que são entregues à entrada de cada sessão (reutilizáveis para quem opta por ficar com eles), mas sim “ao elevado investimento tecnológico feito nas salas”.

“Até ao final do primeiro trimestre de 2010, a ZON Lusomundo Cinemas será um operador de cinema 100% digital”, informou fonte da Zon Lusomundo contactada pelo JN. A primeira fase do processo termina este mês, com a digitalização de cerca de 140 salas, estando prevista a conclusão da segunda e última fase em Março próximo. Estes sistemas de projecção digital garantem a excelência na reprodução de filmes, permitindo aos espectadores uma experiência de altíssima definição em termos de som e imagem. Além disso, torna-se ainda possível alargar a programação das salas de cinema a conteúdos alternativos, nomeadamente espectáculos 3D ao vivo ou transmissão por satélite de eventos culturais .

Fonte: Jornal de Notícias